* FRETE GRÁTIS A PARTIR DE R$ 250 *

COMPARTILHAR:
  • 0 Items - R$0.00
    • Sem produtos no carrinho.
atf_14Blog_4Taylor-Swift

De Romeu e Julieta a Alice no País das Maravilhas, a carreira de Taylor Swift é recheada de referências literárias. A cantora se inspira em diversas obras da literatura clássica para escrever as suas canções, utilizando metáforas e expressões que surgiram de grandes escritores como William Shakespeare e F. Scott Fitzgerald.

Aviso: o texto contém alguns spoilers das obras.

Romeu e Julieta

Uma das referências mais conhecidas nas músicas de Taylor Swift é Romeu e Julieta, de William Shakespeare. Publicada em 1597, a obra conta a história de dois jovens de famílias inimigas que se apaixonam perdidamente. Em Love Story, a cantora conta a história de um relacionamento proibido como o da peça:

Romeu, me leve para algum lugar onde possamos ficar sozinhos

Eu estarei esperando, tudo que resta fazer é correr

Você vai ser o príncipe, eu vou ser a princesa

É uma história de amor, baby, apenas diga sim

Taylor Swift escreveu a música quando tinha apenas 17 anos. No ACM Awards de 2015, sua mãe, Andrea Swift, contou que ela e o pai da cantora eram contra um relacionamento dela com um garoto que eles não gostavam. Por isso, a jovem se trancou no quarto e escreveu a canção em apenas uma hora.

O grande Gatsby

Publicado em 1925, O grande Gatsby é sobre o declínio da sociedade dos Estados Unidos nos anos 1920. Escrito pelo estadunidense F. Scott Fitzgerald, o livro conta a história de Jay Gatsby, um milionário que, por nunca ter esquecido seu amor de juventude, Daisy Buchanan, organiza festas gigantescas em sua mansão na tentativa de chamar a atenção da amada.

Por isso, na música This Is Why We Can’t Have Nice Things, do álbum reputation, Taylor fala de um momento da sua vida em que ela se sentia como Jay Gatsby, por causa das grandes festas com outras personalidades da indústria da música dos EUA:

Era tão legal dar grandes festas

Pulando na piscina da varanda

Todos nadando em um mar de champagne

E não havia regras quando você aparecia aqui

A batida grave fazendo o lustre tremer

Me senti tão Gatsby naquele ano inteiro

Já na música happiness, do álbum evermore, o foco de Taylor Swift foi no romance entre Gatsby e Daisy. Os dois moram em lados opostos de uma baía e, perto ao cais da mansão de Daisy e seu marido, Tom Buchanan, há um pequeno farol que emite uma luz verde. Gatsby passa horas a fio encarando a luz e, por isso, ela se tornou uma referência ao livro.

Depois de te dar o melhor que eu tinha

Me diga o que dar depois disso

Tudo que você quer de mim agora é a luz verde do perdão

Além disso, ainda em happiness, Taylor Swift usa uma das frases do livro, dita por Daisy. A personagem diz que espera que sua filha seja bonita e tola, pois essa é a melhor coisa que pode acontecer a uma menina no mundo. Na música, porém, o eu-lírico deseja esses atributos para a pessoa que o vai substituir ao lado do amado.

Espero que ela seja uma linda tola

Que tome o meu lugar ao seu lado

A letra escarlate

A letra escarlate, escrito por Nathaniel Hawthorne e lançado em 1850, conta a história de Hester Prynne, uma jovem que tem uma relação adúltera que termina com o nascimento de uma criança ilegítima. Por isso, ela é forçada a carregar a letra A, de adúltera, bordada no seu peito para sempre ser lembrada pela sua desonra. 

Duas músicas de Taylor Swift fazem referência à obra: Love Story e New Romantics. Em ambas, Taylor fala sobre o estigma de carregar essa letra. No entanto, em Love Story a expressão carrega uma conotação negativa: pelo eu-lírico da música estar sendo julgado por causa do seu romance. Em New Romantics, Taylor brinca com o fato de todos terem suas próprias “letras escarlates”.

Love Story:

Por que você era Romeu, e eu era uma letra escarlate

E meu pai disse: “Fique longe de Julieta”

New Romantics:

Nós exibimos nossas letras escarlates diferentes

Confie em mim, a minha é melhor

A Ilíada

Uma das obras mais antigas da literatura ocidental, A Ilíada conta a história do final da Guerra de Tróia. No poema épico, o herói Aquiles é o melhor guerreiro grego. Quando ele era um bebê, sua mãe, a deusa Tétis, o mergulhou nas águas do Rio Estige, tornando Aquiles invencível – com a exceção do seu calcanhar, que foi por onde ela o segurou.

A expressão “calcanhar de Aquiles”, portanto, significa um ponto vulnerável de alguém. No caso do próprio herói, foi quando o troiano Páris acertou uma flecha no local, que Aquiles morreu em batalha. Na música State of Grace, Taylor canta que uma pessoa é o calcanhar de Aquiles dela:

O amor é um jogo cruel

A não ser que você jogue bem e direito

Essas são as mãos do destino

Você é meu calcanhar de Aquiles

Essa é a era de ouro de algo bom

E certo e real

Alice no País das Maravilhas

Escrito por Lewis Caroll, Alice no País das Maravilhas é um clássico infantil. Publicado em 1865, a obra conta a história de uma garota que seguiu um coelho para dentro de uma toca e acabou caindo em uma terra mágica, com animais falantes e rainhas malvadas. 

A música Wonderland, do álbum 1989, é inteira dedicada a essa obra. Diversos trechos fazem referência aos elementos do livro, como o Coelho Branco e o Gato de Cheshire. 

Nós encontramos o País das Maravilhas

Eu e você nos perdemos nele

E nós fingimos que isso poderia durar para sempre

Além disso, na música long story short, do álbum evermore, Swift falou novamente da toca do coelho. A expressão significa entrar em uma realidade alternativa, por causa do que aconteceu com Alice. 

E eu cai do pedestal

Direto na toca do coelho

Para encurtar a história, foi um momento ruim

O conto de duas cidades

O conto de duas cidades de Charles Dickens é sobre Londres e Paris. A obra conta a história do doutor francês Manette, que ficou dezoito anos preso na Bastilha. Após ser solto, ele se muda para Londres para morar com sua filha Lucie, que ele nunca havia conhecido. Publicado em 1859, o livro começa da seguinte maneira: 

Aquele foi o melhor dos tempos, foi o pior dos tempos

Parece familiar? Taylor Swift usou praticamente a mesma frase no início da sua música Getaway Car, do álbum reputation. Apesar disso, a música é inspirada em um casal de criminosos da vida real: Bonnie e Clyde

Aquele foi o melhor dos tempos, o pior dos crimes

Peter Pan

Conhecido como um grande clássico infantil, a obra Peter Pan, de James M. Barrie, conta a história de um garoto que nunca cresce e vive na Terra do Nunca, com outros meninos perdidos, fadas, sereias e piratas. Publicado em 1911, o livro lida com a relação entre Peter e Wendy, uma garota que recusa a vida na Terra do Nunca pois quer, sim, crescer e se tornar uma adulta.

Na música cardigan, do álbum folklore, Taylor Swift fala de como Peter perdeu Wendy, por se recusar a crescer junto com ela no mundo real. Na música, o eu-lírico, Betty, relembra o momento em que o seu namorado, James, também foi imaturo e quase a perdeu.

Eu sabia que você

Tentou mudar o final

Peter perdendo Wendy

Jane Eyre

Escrito por Charlotte Brontë e publicado em 1847, o romance conta a história da jovem Jane, que se torna governanta de Miss Adèle, protegida de Mr. Rochester. Entre Jane e o novo patrão nasce uma paixão arrebatadora, obscurecida, no entanto, por um grave segredo que ele carrega. 

No momento em que Rochester vai se declarar para Jane, ele diz que sente um sentimento diferente em relação à garota. Como se ele tivesse um fio preso à sua costela que o ligasse a ela:

— Porque às vezes — prosseguiu ele — sinto uma impressão singular, principalmente quando você está junto de mim. Como agora. É como se eu tivesse, do lado esquerdo, um cordão bem amarrado a outro cordão que viesse também do lado esquerdo do seu pequenino corpo.

Na música invisible string, Taylor Swift descreve algo similar, falando sobre como sente que durante toda sua vida havia um cordão invisível a ligando ao amado:

E não é tão bonito pensar que

Todo esse tempo existia algum

Cordão invisível

Te amarrando em mim?

Um outro tema de Jane Eyre, muito presente na literatura vitoriana, é a questão da “mulher louca no sótão”. No livro, Jane descobre que a ex-mulher de Rochester está trancafiada e afastada da sociedade por ser considerada histérica. Atualmente, se sabe que a histeria foi um diagnóstico comum a mulheres que se recusavam a seguir os moldes patriarcais da sociedade. Essas mulheres eram trancadas por seus maridos, que seguiam suas vidas normalmente.

Na música mad woman, a faixa seguinte a invisible string, Taylor Swift comenta sobre esse tratamento dado às mulheres, consideradas loucas ao reclamarem de injustiças contra elas.

E não há nada como uma mulher louca

Que pena que ela enlouqueceu

Ninguém gosta de uma mulher louca

Você fez ela ficar assim

Rebecca

Escrito por Daphne du Maurier, Rebecca é um romance gótico publicado em 1938. O livro conta a história de uma mulher que se casa com um nobre inglês que que ainda vive atormentado por lembranças de sua falecida esposa. Após o casamento e já morando na mansão do marido, ela descobre surpreendentes segredos sobre o passado dele.

Em uma entrevista para a Apple Music, Taylor Swift revelou que a canção tolerate it, do álbum evermore, foi inspirada pela obra:

“Quando eu estava lendo Rebecca, de Daphne du Maurier, eu pensei: uau, o marido dela só a tolera. Ela está fazendo todas essas coisas e ela está se esforçando muito para impressioná-lo e ele só está a tolerando esse tempo todo.”

A música no body, no crime, com a banda HAIM, também conta com referências do livro. A personagem principal descobre que o seu marido, na verdade, foi quem matou a ex-esposa, Rebecca. O seu corpo é encontrado anos depois, em um barco naufragado. Na música, Taylor Swift dá a entender que o eu-lírico comete um assassinato da mesma maneira: 

Ainda bem que meu pai me fez tirar uma licença de barco quando eu tinha quinze anos

O mito do Rei Midas

Na mitologia, o Rei Midas faz um favor ao deus Dionísio, que em troca, o concede um desejo. Imediatamente, o rei pede que tudo que toque se transforme em ouro. No entanto, o que lhe parecia uma ideia que lhe faria o homem mais rico do mundo, se tornou uma maldição: ele acabou transformando sua filha em uma estátua de ouro e nunca mais conseguiu se alimentar novamente.

Na música champagne problems, de evermore, Taylor menciona o rei:

Seu toque de Midas na porta do Chevy

The Road Not Taken

The Road Not Taken é um poema escrito por Robert Frost, publicado pela primeira vez em 1915. O tema central da obra é a existência de caminhos divergentes, literais e figurados, com os quais uma pessoa precisa lidar durante a sua vida.

Na música tis the damn season, do álbum evermore, Taylor Swift menciona o título do poema, ao falar sobre voltar a sua cidade natal e reencontrar uma pessoa do passado: 

Eu estou ficando na casa dos meus pais

E a estrada que não tomei parece muito boa agora

E sempre leva a você na minha cidade natal

No entanto, a cantora já havia brincado com esse conceito em músicas anteriores. Na música illicit affairs, do álbum folklore, tem um trecho parecido: “Take the road less traveled by”, que se traduz para “Pegue a estrada menos movimentada”. E na canção The Outside, do seu debut Taylor Swift, ela usou a mesma expressão no trecho: “I tried to take the road less traveled by”.

Os Poetas do Lago

Na música the lakes, a faixa bônus do folklore, Taylor Swift não faz referência a uma obra, mas sim a um grupo de poetas do século XIX: os “Lake Poets”. O grupo contava com nomes da poesia inglesa como William Wordsworth e Samuel Taylor Coleridge.

Me leve para os lagos onde todos os poetas foram morrer

Branca de Neve e os Sete Anões

Na canção The Best Day, do álbum Fearless, Taylor Swift menciona a famosa Branca de Neve. Apesar de ser muito conhecida por causa do filme da Disney, a princesa surgiu como um conto de fadas alemão, oficialmente publicado pelos Irmãos Grimm.

Não sei se a casa da Branca de Neve está perto ou longe

Mas eu sei que eu tive o melhor dia contigo hoje

Matadouro-cinco

A frase “so it goes” (“e assim vai”), título de uma das músicas do reputation, veio do livro Matadouro-cinco, escrito por Kurt Vonnegut em 1969. No livro, sobre a Segunda Guerra Mundial, a frase é repetida sempre que uma morte ocorre, e a narrativa muda de foco.

A rima Humpty Dumpty

A famosa rima infantil aparece em uma das músicas da cantora: The Archer, do álbum Lover. Na história, Humpty Dumpty tem o formato de um ovo que fica sentado em cima do muro. Quando ele acaba caindo, ele se quebra e ninguém consegue consertá-lo.

Todos os cavalos do rei e todos os homens do rei

Não conseguiram juntar os pedaços de Humpty novamente

Na canção, Swift reproduz a ideia, mas alterando o personagem que acaba se quebrando:

Todos os cavalos do rei e todos os homens do rei

Não conseguiram juntar meus pedaços novamente

All’s Well that Ends Well

Publicada pela primeira vez em 1623, a peça Bem está o bem acaba conta a história de Helena, uma plebeia que tenta conquistar o amor de Bertram, um nobre que foi obrigado a desposá-la. Duas músicas de Swift mencionam o nome da peça, no entanto, nos dois casos ele é usado mais como uma expressão do que como uma referência ao enredo: Lover e All Too Well (10 Minute Version):

Lover:

Meu coração já foi emprestado e o seu já ficou triste

Tudo está bem quando termina bem se o final for com você

All Too Well (10 Minute Version):

Dizem que tudo fica bem quando acaba bem

Mas fico em um novo inferno cada vez

Que você engana a minha mente

Por aqui, já estamos adicionando todas essas obras na nossa lista de leitura! Você já tinha reparado em todas essas referências?

Leia também:
COMPARTILHAR:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *